Hello our valued visitor, We present you the best web solutions and high quality graphic designs with a lot of features. just login to your account and enjoy ...

LINHA HERBAMEL

MEL COM ALHO, PRÓPOLIS E EUCALIPTO - 290G



Desde os primórdios de nossa civilização o alho vem sendo utilizado pelo homem como recurso culinário e terapêutico. Seu uso no tratamento de afecções respiratórias, como descongestionante, expectorante e promotor da desinfecção e desinflamação dos brônquios é tradicionalmente comprovado. Atualmente estudos feitos comprovam as suas demais ações. A união do alho com a própolis, reconhecido antibiótico natural, e com o eucalipto, potente antisséptico das vias aéreas, torna o produto excelente contra infecções e especificamente problemas das vias aéreas. A presença do mel faz com que o produto tenha sabor agradável.

 

INFORMAÇÕES TÉCNICAS

O alho, cientificamente chamado de Allium sativum, é consumido como alimento e como medicamento desde a antiguidade. Esta planta nativa do sudoeste da Sibéria e amplamente utilizada no Brasil apresenta no bulbo os componentes responsáveis por suas ações.

As células intactas do alho contém sulfóxido de (+)-S-alil-L-cisteína, composto inodoro conhecido como aliina quando ocorre a lise celular, a aliina entra em contato com a enzima aliinase, que se encontra estocada em vacúolos no interior das células, e é convertida em alicina (tiossulfato de dialila), uma substância com potente atividade antibacteriana contra bactérias gram positivas e gram negativas. A alicina decompõe-se em presença de ar e água, originando dissulfito de dialila (principal responsável pelo odor característico do alho), tiossulfito de dialila e os polissulfitos correspondentes, todos apresentando um odor intenso. Esse processo de degradação também ocorre no organismo, motivo pelo qual o ar expirado após a ingestão apresenta odor característico. Esses compostos da decomposição podem ser considerados não nutritivos, porem tem função importante na dieta como agentes protetores contra algumas doenças degenerativas.

 

Além da aliina, o alho contém ajoeno, proteínas, ácidos graxos, carboidratos, flavonóides, vitaminas A, B1, B2, C e adenosina. Também foram isoladas duas saponinas esteroidáis, tendo estas apresentado efeito inibitório sobre a coagulação sanguínea.

Investigações farmacológicas realizadas in vitro e in vivo indicaram para o alho atividade antibacteriana, antimicótica, antiviral, antitumoral, hipotensora, imunomoduladora, inibidora da agregação plaquetária e diminuidora das taxas de triglicerídeos e colesterol. Ele é tradicional e eficientemente utilizado no tratamento de afecções respiratórias, resolvendo congestões, fluidificando as secreções (expectorante), promovendo a desinfecção e desinflamação dos brônquios.

A teoria mais aceita para explicar as atividades biológicas do alho baseia-se na reatividade apresentada pela alicina e por alguns de seus produtos de degradação frente a grupamentos sulfidrila de proteínas, uma vez que foi demonstrado in vitro que a alicina inibe um grande número de enzimas, cujos sítios ativos contêm cisteína. Presume-se que os constituintes do alho contendo grupamentos di-tio-alila reagem com grupamentos sulfidrila de enzimas, bem como com a acetil-CoA-SH, unidade fundamental na biossíntese do colesterol e dos triglicerídeos.

A atividade anti-hipertensiva tem sido investigada e é atribuída à presença de peptídeos sulfurados, que atuariam aumentando os níveis fisiológicos de óxido nítrico. Ensaios clínicos foram realizados em hiperlipidemias e indicaram efetiva diminuição dos níveis séricos de triglicerídeos e colesterol, que provavelmente esta associada com a inibição da biossíntese do colesterol nos hepatócitos. A inibição da agregação plaquetária verificada in vitro é atribuída, principalmente, à presença do trissulfito de metil-alila e do ajoeno.

A própolis é uma substância resinosa e balsâmica, que possui coloração e consistência diversas, variando da coloração marrom até verde escuro. É produzida pelas abelhas a partir brotos e exudatos resinosos de plantas, e utilizada no interior da colméia para soldar favos, envernizar os alvéolos, fechar frestas para redução da entrada de vento frio, e, principalmente, dos inimigos naturais: fungos e bactérias. Também é utilizada para embalsamar pequenos animais mortos pelas abelhas e que não puderam ser retirados, evitando assim a putrefação.

A composição química da própolis depende da ecologia botânica de cada região, mas em geral é composta de 50% de resina e bálsamo, 30% de cera, 10% de óleos essenciais e aromáticos, 5% de pólen e 5% de várias outras substâncias. Até o momento já foram identificados mais de 200 compostos químicos na própolis, dentre os quais, flavonóides, ácidos aromáticos, terpenóides, aldeídos, álcoois, ácidos alifáticos e ésteres, aminoácidos, esteróides, açucares, etc. Os intensos estudos sobre própolis revelam que estes compostos são os responsáveis pelas suas diversas ações fisiológicas: antimicrobiana (funciona como um antibiótico natural), antiinflamatória, cicatrizante, antifúngica, anestésica e antioxidante (combate os radicais livres).

 

A Uniflora trabalha somente com própolis selecionadas das quais é obtido, através de equipamento desenvolvido para maximizar a extração, um extrato de própolis altamente concentrado. Nossos laboratórios analisam a composição de cada extrato obtido e preparam um blend de forma a obter o extrato de própolis padrão que é então utilizado na elaboração de produtos. A qualidade do extrato de própolis padrão é controlada através dos seguintes parâmetros: dosagem do teor de flavonóides, grau Brix, porcentagem de resíduo seco, graduação alcoólica e densidade.

O Eucalyptus globulus, conhecido popularmente como eucalipto, é originário da Austrália é uma árvore frondosa e de grande porte sua casca lisa branca-cremosa vai se descascando e renovando ao longo do tempo a folhagem juvenil é ovalada e de coloração prata-azulada. As partes de interesse farmacológico são as folhas e principalmente o óleo essencial que é extraído das folhas. Este pode ser considerado o principal componente ativo do eucalipto. A composição do óleo é apresentada a seguir: cineol (eucaliptol), um composto terpênico com o odor típico do eucalipto, terpineol e pineno ácidos polifenólicos (gálico, caféico) e flavonóides (eucaliptina, rutina). A erva aromática tem função estimulante, descongestionante e expectorante pode ser usada externamente, em inalações, para catarro, bronquite, sinusite, resfriados e gripe.

O mel é produzido pelas abelhas a partir do néctar das flores. É um alimento rico, que apresenta em sua composição açucares simples de rápida assimilação pelo organismo, sais minerais (potássio, sódio, cálcio, fósforo, ferro, manganês, etc.), aminoácidos, enzimas e vitaminas. Apresenta as seguintes propriedades: expectorante, fluidificante, cicatrizante, e anti-séptico.

O mel utilizado na Uniflora provém de produtores cadastrados, com acompanhamento constante de suas produções. Todos os lotes recebidos são analisados rigorosamente, não só com referência à pureza, mas também às condições higiênicas de extração, que garantem a qualidade do produto.

 

RESTRIÇÕES

Não deve ser utilizado em caso de sensibilidade a algum dos componentes do produto. Pessoas que estejam consumindo medicamentos anticoagulantes e pessoas hipertensas que já utilizem algum medicamento para controle da pressão arterial, devem consultar um médico antes de utilizar o produto.

Crianças abaixo de 01 ano de idade devem utilizar o produto somente sob orientação do pediatra.

 

EFEITOS COLATERAIS

Os efeitos indesejados mais freqüentes ocasionados pela utilização de produtos à base de alho são as dermatites de contato. Pessoas alérgicas ao alho podem desenvolver uma erupção através do contato ou pela sua ingestão. Nesses casos descontinuar o uso do produto.

 

RECOMENDAÇÕES DE USO

Adulto: 01 colher de sopa, 03 vezes ao dia.

Criança acima de 01 ano: 01colher de sobremesa, 03 vezes ao dia.

 

GRADUAÇÃO ALCOÓLICA

Os extratos de plantas utilizados na produção dos méis compostos são obtidos utilizando-se como veículo extrator o álcool (etanol). A adição destes extratos ao mel faz com que o produto final apresente uma pequena quantidade de álcool, que é designada como graduação alcoólica. Quanto maior a graduação alcoólica, maior a quantidade de álcool contida no produto.

Apresentamos na tabela abaixo os valores referentes ao Herbamel com alho, própolis e eucalipto.

 

Para que o consumidor tenha uma idéia mais palpável da quantidade de álcool presente no produto, podemos fazer uma comparação com a cerveja, largamente consumida no dia a dia:

01 colher de sopa do HERBAMEL de acerola, própolis e eucalipto...........0,8g de álcool

01 copo de cerveja (200ml)...........................................................................10g de álcool

A dose do Herbamel apresenta 12 vezes menos álcool que um copo de cerveja.


CUIDADOS DE ARMAZENAMENTO

O pote deve ser armazenado em local fresco e ao abrigo da luz solar.

Cuidados em relação à temperatura de armazenamento são recomendados, uma vez que temperaturas altas (acima de 45C°) podem alterar alguns compostos do mel e dos extratos adicionados levando a uma diminuição de sua ação no organismo já as baixas temperaturas favorecem (ou aceleram) o processo natural de cristalização do mel, o qual não prejudica as propriedades do produto, mas requer um tratamento em banho-maria para descristalização.

 

PRAZO DE VALIDADE

O produto tem prazo de validade de 02 anos.

Não consuma o produto com o prazo de validade vencido.

 

Identificação do Produto: mistura de mel com extrato fluido de Allium sativum, extrato de própolis e óleo essencial de Eucalyptus globulus.

Forma de Apresentação: pote de vidro de 290g.